Consulte aqui seu Processo:

Insira seu usuário e senha para ter acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,43 5,43
EURO 6,61 6,61
PESO (ARG) 0,06 0,06

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher: ações incentivam a denúncia

Projeto Carta de Mulheres presta informações a vítimas.       Em 1999, a Organização das Nações Unidas instituiu o dia 25 de novembro como o Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher. A data homenageia as irmãs dominicanas Patria, Minerva e Maria Teresa Mirabal, conhecidas como “Las Mariposas”, brutalmente assassinadas neste mesmo dia, em 1960, a mando do ditador Rafael Trujillo. Lembrado no mundo todo, o dia se tornou símbolo da luta pelo fim da violência de gênero e por políticas para este fim. No Tribunal de Justiça de São Paulo, persas iniciativas foram tomadas no contexto da pandemia de Covid-19 para proteger mulheres da violência doméstica.     Uma delas foi o projeto Carta de Mulheres, em que vítimas relatam suas histórias ou enviam suas dúvidas e recebem informações sobre como proceder. O contato é feito a partir de um formulário on-line preenchido no site do Tribunal e, nas respostas, são informados locais de atendimento, possíveis desdobramentos da denúncia e os tipos de medidas protetivas existentes, além de programas de apoio às vítimas. As respostas levam em consideração a situação de cada mulher e o tipo de violência sofrida. O programa é destinado exclusivamente ao fornecimento de orientações e não há o encaminhamento dos relatos aos demais órgãos ou instituições do sistema de Justiça. O formulário está disponível em www.tjsp.jus.br/cartademulheres.     Desde o dia 7 de abril, quando o projeto foi lançado, até ontem (24), foram mais de 1,4 mil solicitações, sendo 449 na Capital, 438 nas demais cidades do Estado, 460 de outros estados e 4 de outros países. Dentre elas, a relação mais comum entre vítimas e agressores foi marido/companheiro (450), ex-namorado (143) e namorado (13). As vítimas, em sua maioria, são brancas (635) ou pardas (457) e o tipo de violência mais relatado foi a psicológica (1187), seguida da violência moral (943).       Denuncie     As Delegacias de Defesa da Mulher funcionam normalmente, a Casa da Mulher Brasileira está aberta 24 horas por dia (telefone 11 3275-8000) e os serviços de delegacia eletrônica incluem o registro on-line de boletins de ocorrências de violência doméstica. Na Defensoria Pública, os canais para contato estão disponíveis no site. Outros canais para denúncia são a Central de Atendimento à Mulher (Disque 180), a Polícia Militar (190) e o Ministério Público de São Paulo www.mpsp.mp.br.              imprensatj@tjsp.jus.br       Siga o TJSP nas redes sociais:      www.facebook.com/tjspoficial     www.twitter.com/tjspoficial     www.youtube.com/tjspoficial     www.flickr.com/tjsp_oficial     www.instagram.com/tjspoficial
25/11/2020 (00:00)
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.