Consulte aqui seu Processo:

Insira seu usuário e senha para ter acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,59 5,59
EURO 6,32 6,32
PESO (ARG) 0,06 0,06

Tribunal de Justiça rende homenagens aos educadores

EPM e EJUS oferecem aperfeiçoamento constante.   “Se não fosse imperador, desejaria ser professor. Não conheço missão maior e mais nobre que a de dirigir as inteligências jovens e preparar os homens do futuro.” (D. Pedro II)       Elas e eles ensinaram, ensinam e ensinarão sempre. 15 de outubro, dia dos educadores que distribuem conhecimento e cidadania em qualquer que seja o tempo do verbo. Quem não tem saudade e reconhecimento ligados à figura de algum mestre? Qual o magistrado ou servidor que não carrega no coração e na mente os ensinamentos passados?     Nesta sexta-feira (15), o Tribunal de Justiça de São Paulo abre espaço, em sua página oficial, para reverenciar professoras e professores que proporcionam conhecimento e aprendizado aos magistrados, servidores e a todos que acompanham os cursos oferecidos pela Escola Paulista da Magistratura (EPM) e pela Escola Judicial dos Servidores (EJUS), extensivos à comunidade jurídica.     A EPM – criada em 1988, em cumprimento à Constituição Federal, e regulamentada pela Resolução nº 24/88, do Órgão Especial – desenvolve dois ramos de ensino: a formação continuada de magistrados (formação inicial e cursos de aperfeiçoamento) e os cursos abertos a toda a comunidade jurídica (pós-graduação, extensão universitária, cursos rápidos, seminários, palestras e outros eventos) visando o aprimoramento do Judiciário como um todo. Ela tem como docentes magistrados da Justiça Estadual com vivência acadêmica e conta com a colaboração de ministros dos tribunais superiores, juristas e professores das melhores universidades do país e do exterior, já que agora, pelo sistema virtual, é possível difundir conhecimento em esfera global. A EPM propicia a reflexão e o diálogo a respeito dos mais persos aspectos do Direito.     A programação multidisciplinar da Escola abrange, ainda, cursos de extensão universitária, seminários, ciclos de palestras, encontros e outros eventos, além de cursos de capacitação de conciliadores e mediadores e cursos de aprimoramento para servidores, promovidos em conjunto com a EJUS. O intercâmbio com outras instituições também é continuamente ampliado, por meio de convênios com escolas de magistratura de outros Estados, instituições de ensino e órgãos do governo, além de instituições de outros países.     História da EPM – A primeira eleição para o preenchimento dos cargos diretivos ocorreu em sessão plenária do Órgão Especial, em 7 de dezembro de 1988. Nesse dia, o desembargador José Alberto Weiss de Andrade foi escolhido como diretor e o desembargador Dagoberto Salles Cunha Camargo como vice-diretor. Seguiram-se as gestões dos desembargadores Nereu César de Moraes, Yussef Said Cahali, Sergio Augusto Nigro Conceição, Márcio Martins Bonilha, Antonio Cezar Peluso, Hélio Quaglia Barbosa, Carlos Augusto Guimarães e Souza Júnior, Marcus Vinicius dos Santos Andrade, Antonio Rulli Junior, Pedro Luiz Ricardo Gagliardi, Armando Sérgio Prado de Toledo, Fernando Antonio Maia da Cunha, Antonio Carlos Villen e Francisco Eduardo Loureiro. A atual diretoria (biênio 2020/2021) é formada pelos desembargadores Luís Francisco Aguilar Cortez (diretor) e Milton Paulo de Carvalho Filho (vice-diretor) e pelos integrantes do Conselho Consultivo e de Programas, desembargadores Adalberto José Queiroz Telles de Camargo Aranha Filho, Dácio Tadeu Viviani Nicolau, Fernando Antonio Torres Garcia, Luciana Almeida Prado Bresciani, Moacir Andrade Peres e Renato Rangel Desinano e o juiz Carlos Bortoletto Schmitt Corrêa, como representante do 1º grau.     História da EJUS – Implantada pela Portaria nº 8.965/14, é destinada à valorização qualitativa dos recursos humanos existentes e capacita os servidores para atuarem de forma eficiente, com perfil adequado às necessidades do serviço, proporcionando um melhor ambiente de trabalho. Sua missão é integrar, formar, aperfeiçoar e capacitar de forma contínua os servidores do Tribunal de Justiça para o desempenho de suas funções.     Neste biênio, o Conselho Técnico da EJUS é formado pelos desembargadores Luís Francisco Aguilar Cortez (diretor), Claudio Luiz Bueno de Godoy (coordenador pedagógico), Dácio Tadeu Viviani Nicolau e Luciana Almeida Prado Bresciani (Conselho Consultivo);  juízes Ricardo Cunha Chimenti (coordenador de Cursos de Iniciação Funcional e Aperfeiçoamento), Paulo Furtado de Oliveira Filho (coordenador-geral dos Núcleos Regionais), Fernando Antônio Tasso (indicado pela Presidência) e Carla Themis Lagrotta Germano (indicada pela Corregedoria Geral da Justiça) e pelos secretários Fábio Makoto Tagliaferro Yokoyama (Primeira Instância/SPI), Epaldo Antonio Sartor (Tecnologia da Informação/STI) e Pedro Cristóvão Pinto (Gestão de Pessoas/SGP).          imprensatj@tjsp.jus.br       Siga o TJSP nas redes sociais:      www.facebook.com/tjspoficial     www.twitter.com/tjspoficial     www.youtube.com/tjspoficial     www.flickr.com/tjsp_oficial     www.instagram.com/tjspoficial
15/10/2021 (00:00)
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.